Composição dos diferentes tipos de chocolate



O chocolate é composto de massa de cacau, sacarose, manteiga de cacau, aromatizantes e outros ingredientes como leite, passas, castanhas e amêndoas. Contém ainda alguns minerais, como ferro, potássio, cobre, manganês e magnésio. Para aproveitar o que há de melhor na guloseima, é preciso saber a composição dos diferentes tipos de chocolate.

Chocolate ao leite
- A massa de cacau é substituída em parte por leite em pó, produzindo um gosto mais adocicado.

Chocolate branco
- Contém manteiga de cacau, açúcar e leite, mas não leva massa de cacau. É o mais calórico dos chocolates pois é feito com manteiga de cacau, enquanto o escuro é feito apenas com o cacau.

Chocolate amargo
- Em geral, é de alta qualidade. Tem grande índice de massa e manteiga de cacau, pouquíssimo açúcar e não contém leite. É bastante rico em polifenóis e também o menos calórico, por isso, é o mais saudável entre os chocolates tradicionais.

Chocolate em pó
- É bastante usado em receitas. É feito de amêndoa de cacau, sem a manteiga. Pode ser amargo (recebe o nome de cacau em pó), meio amargo e doce. Não deve ser confundido com achocolatados (chocolate, leite em pó e açúcar).

Chocolate para cobertura
- Tem alto índice de manteiga de cacau, que lhe dá a propriedade de derreter com facilidade. Na culinária, ele facilita o acabamento e o brilho nas coberturas. É comercializado em três tipos: meio-amargo, branco e comum (leite).

Chocolate hidrogenado
- É feito com a gordura hidrogenada em substituição à manteiga de cacau. É um produto mais barato, que derrete mais facilmente. Só que o sabor e a textura são inferiores aos dos chocolates feitos com manteiga de cacau. É tão calórico quanto os outros chocolates.

Chocolate diet
- É feito de massa e manteiga de cacau, leite em pó integral, soro de leite e edulcorantes. Para compensar a falta de açúcar, ganha maior dose de gordura. É tradicionalmente consumido por diabéticos, mas muitas pessoas começam a consumi-lo, pois associam a ausência do açúcar ao baixo teor calórico, o que, na verdade é um grande erro.
“Neste tipo de chocolate a adição de gordura é superior ao chocolate normal, para garantir consistência. Quem não é diabético deve preferir o chocolate convencional em pequenas quantidades ao diet que, na maioria das vezes, tem valor calórico e quantidade de gordura superiores e o sabor é inferior ao convencional”, sugere a nutricionista.

Chocolate de Alfarroba
- É uma vagem que, após a trituração e torrefação, resulta numa farinha, utilizada como substituta do cacau e com amplas vantagens. Tem apenas 0,7% de gordura, além de ser rica em fibras e não conter cafeína. Seu sabor é similar ao do chocolate amargo. Este produto pode ser encontrado em barra, pó, bombons, gotas e ovos de Páscoa.
É indicado para celíacos, pessoas com intolerância à lactose e se for sem adição de açúcar, para diabéticos. \"A alfarroba é um alimento saudável e não possui qualquer agente alergênico, é uma alternativa para quem sofre de restrições ao leite e ao glúten\", indica a nutricionista.

Chocolate de soja
- É um chocolate 100% vegetal, feito com extrato de soja, sem lactose ou glúten. Disponível em bombos, barras e ovos de Páscoa, esta guloseima é especialmente indicada para pessoas com intolerância à lactose e celíacos. A versão sem açúcar do produto pode ser consumida por diabéticos. Seu valor calórico é inferior ao do chocolate tradicional e ao dietético. \"No chocolate de soja o leite é substituído pelo extrato de soja, mas sem que o chocolate perca seu sabor\", constataa nutricionista Flávia Morais



Comentários

Postagens mais visitadas